A Obra

 

 A Cidade e as Serras foi o último livro de Eça de Queiroz, publicado em 1901 um ano após a morte do autor português.

É considerado um dos mais importantes livros do escritor, concentrando as principais características do período de sua maturidade artística. 
A partir dessa fase, Eça ameniza o rigor do método realista e reconcilia-se com seu país, Portugal, tão duramente criticado em romances anteriores, como O Crime do Padre Amaro e O Primo Basílio.

 

 Tempo e Espaço:

 Eça de Queiroz criou nessa obra o que podemos chamar de romance de espaço:

 

 - A cidade: Representada por Paris – exemplo de progresso, civilização, desenvolvimento tecnológico e cultura.

   

 

 

 

- As serras: Representada por Portugal – região mais atrasada, menos civilizada e até um pouco menos culta.

 

 

 

 

A história é narrada por Zé Fernandes, amigo do protagonista Jacinto de Tormes.

 

 


 Enredo:

 

Conta a trajetória do Jacinto da cidade até as serras. Este é um parisiense com ascendentes portugueses que se vê obrigado a sair do seu conforto, “do seu Paris”, para a rudeza da vida nas serras.

Zé Fernandes o estimula a fazer isso, pois preferia as serras à cidade.

Nesta viajem, Jacinto aprende as virtudes da serra em relação à cidade.

Quando vivia em Paris propôs uma teoria em uma festa: Só era feliz aquela pessoa que vivia na cidade. Um tempo depois, percebe-se que esta teoria não estava de acordo com Jacinto, pois ele estava se tornando uma pessoa modorrenta e pensou até em suicídio. Quando mudou para a serra, encontrou nele próprio uma vitalidade que ele desconhecia em contato com aquelas raízes, que na verdade eram as raízes dele, pois seus antepassados eram portugueses.

 

 

Assim, ele redescobre a alegria de viver e concorda a respeito da beleza que as serra têm.

Jacinto percebe que é possível estabelecer uma aliança entre as cidades e as serras, uma aliança que talvez nem Zé Fernandes tenha percebido. Tanto que no final, Jacinto leva para a vida serrana alguns elementos da vida na cidade, como o telefone.

Zé Fernandes é quem conta a história, então é ele que transmite a verdade que ele quer sobre Jacinto.

A cidade E as Serras; propõe uma união e não uma oposição.

 

Fontes: http://guiadoestudante.abril.com.br/estude/literatura/materia_410536.shtml